Quotidiano

Locomotiva e carruagens

julho 31, 2017


Andamos a percorrer a ecopista do Dão aos poucos! O objectivo é conseguir concluir o trajecto todo. E ontem fizemos mais um pouco do percusso!

Espera aí, o que é a ecopista do Dão!? Resumindo muito rapidamente, é a antiga linha ferroviária que ligava Santa Comba Dão a Viseu, intersectava a linha da Beira Alta;

Em Viseu ligava à linha do Vouga que ia até Aveiro, e aqui fazia ligação à linha do Norte. 
Mas para terem uma ideia melhor, pesquisem no google (o que seria de nós sem o google!! ahah!), ou espreitem aqui!


Como sempre estivemos rodeados de muita natureza, paisagens lindas e fomos verdadeiros exploradores! Encontramos uma locomotiva e duas carruagens, uma de cargas e outra de pessoas! Pena que estava vandalizado!

O sossego de andar entre aqueles pedaços de terra onde não há estradas é fantástico!

Bom, bom seria, ir sem hora para chegar em casa e simplesmente sair andando e só parar quando o corpo não aguentasse mais. E aí chegar num bom sítio para comer e dormir para que no dia seguinte voltasse a repetir! Aeuhaueh!

Assim, ao contrário daquilo que gostaria, caminhamos durante quase duas horas que, ainda tínhamos que voltar para trás até onde ficou o carro. 

Foi um passeio muito agradável, foi pena ter o tempo contado! Ah e estava um calor... e só eram cerca das 10 horas! Todas as horas contam quando estás com quem amas!

Boa semana!


Sentimentos

Assuntos religiosos

julho 29, 2017



Não tenho religião, como se diz por aí, sou ateu! Não me importo com o que pensam. Convivo com na sua esmagadora maioria, cristãos (muitos são não praticantes, e outros tantos são batizados por imposição da família - quando ainda são bebés, logo impossibilitados de pensar e decidir por si próprios). Respeito e nada tenho contra. 

Sou ateu, porque me foi dada a opção de escolha, o que faz muita confusão aos meus avós (e outros tantos), e porque nas inúmeras tentativas de compreensão de uma fé, revolta-me o dinheiro que mora no vaticano, o cestinho que passa durante a missa, bem como a falsidade das pessoas que se dizem devotas, quando são as primeiras a cometer os famosos pecados (mas falsidades está o mundo cheio!).

Quanto aos feriados religiosos e épocas festivas, eu também os comemoro, afinal estou inserida em uma família em que apenas eu sou diferente. Faço-o, porque é um dia que estou junto dos que amo e quero bem, assim como em todos os outros dias em que me é possível estar com a minha família.

Acredito apenas e somente naquilo que vejo e sei que existe, a Mãe Natureza. É ela que me inspira e me permite respirar!

Ela dá o pasto aos animais, dá-me a fruta e legumes, dá-nos o ar e a água, está na terra que piso, na sombra que me protege do sol, nos cheiros das estações do ano... enfim, consigo encontrá-la numa imensidão de situações.

Sei que sem ela não sobrevivemos e sei que se a mãe natureza se "revoltar", não somos nada e nem ninguém contra as intempéries!

E é por ela ser uma força conhecida e ao mesmo tempo desconhecida na sua imensidão e infinito que, acredito que ela está acima de mim e de qualquer ser vivo!

Sinto-me tão bem, tão leve e calma quando ando na floresta, quando estou junto ao rio...quando apenas oiço os passarinhos... traz-me paz! Não preciso de rezas, apenas agradeço por poder desfrutar de mais um dia!

Sou uma sortuda por ainda ter zonas verdes em estado puro perto de mim, são o meu santuário!

Ah! Ela não precisa de dinheiro para se manter rica, mas sim que a deixem em paz e a que respeitem!


Sentimentos

Medo...

julho 27, 2017


Dei pela primeira vez, umas quantas braçadas na piscina... eu nadei! Ainda que muito desajeitada, é claro! Mas naquelas duas horas (talvez!!) que, pareceu a tarde inteira eu consegui colocar de lado o medo da água e ganhei coragem e realizei um sonho!

Há medos que não sabemos a origem ou não conseguimos explicar, controlar as nossas acções quando expostos a esses medos... é totalmente impossível! Eu sei o porquê do meu medo... quando era mais nova quase me afoguei. Ainda hoje, mais de 20 anos depois, consigo me lembrar de cada detalhe desse momento horrível! E como consequência sempre que a água chega perto do nariz, eu fico muito aflita! 

Sei que ainda e, penso que nunca vou ultrapassar esse medo, no entanto se eu conseguir acalmar-me e confiar em mim, posso conviver com ele! Não vou mais evitar ir à piscina e tentar sempre! E quem sabe, se um dia eu consigo divertir-me tanto quanto a minha filhota e o meu marido que passam o dia inteiro molhados! 

Foi uma conquista que nunca mais vou esquecer! Prova que consigo sempre mais, com muita força de vontade!